• .
  • .
  • .
  • .
  • .
  • .

Coletivo e mobilizações indígenas

Lançamento de três livros da coleção Os Primeiros Brasileiros

O LACED/Museu Nacional-UFRJ convida para o lançamento de três livros da coleção Os Primeiros Brasileiros.

1. A escola na ótica dos Ava Kaiowá, de Tonico Benites.
2. Revitalização étnica e dinâmica territorial, de Tomas Paoliello Pacheco de Oliveira.
3. Todo mistério tem dono, de Claudia Mura.

O evento será realizado no dia 02 de Maio, a partir das 19 horas, na Blooks Livraria. Praia de Botafogo, 316 (cinema Arteplex).

Veja aqui o convite.

‘Portaria da AGU é um ato de violência contra os indígenas’, diz antropólogo

Em entrevista concedida ao jornal A Crítica, João Pacheco de Oliveira, um dos principais nomes da antropologia brasileira, fala sobre medidas que, segundo ele, são contrárias aos direitos dos povos indígenas

Por Elaíze Farias
Manaus, 14 de Outubro de 2012

Um dos principais nomes da antropologia brasileira e referência obrigatória da etnologia indígena, João Pacheco de Oliveira, desde que iniciou trabalhos de pesquisa junto ao povo ticuna, no Alto Solimões, há mais de 30 anos, nunca deixou de ter relações com a Amazônia e com o Amazonas em particular.

Professor titular do Museu Nacional (Universidade Federal do Rio de Janeiro), Oliveira desenvolve há algum tempo intercâmbios com professores e alunos de antropologia e de educação na Universidade Federal do Amazonas (Ufam) e na Universidade do Estado do Amazonas (UEA).

O engajamento junto com os movimentos sociais enquanto antropólogo é uma das principais marcas de sua longa trajetória acadêmica, cuja ação procura dar voz aos grupos excluídos, como indígenas, quilombolas e povos tradicionais.

Na academia, João Pacheco de Oliveira desenvolve pesquisas não apenas como indígenas da Amazônia. Em uma iniciativa pioneira junto com outros antropólogos realiza estudos sobre a presença indígena no Nordeste, considerado um grupo até então extinto e com pouco espaço nas pautas do indigenismo oficial. Foi orientando (mestrado) de Roberto Cardoso de Oliveira e de Otávio Velho (doutorado), dois dos mais destacados antropólogos do país.

Em setembro passado, João Pacheco de Oliveira esteve em dois momentos em Manaus, ministrando o curso “Antrologia do Território” no Programa de Pós-Graduação em Antropologia Social da Universidade Federal do Amazonas (Ufam), em um intercâmbio com o grupo de pesquisa das professoras Maria Helena Ortolan e Thereza Menezes. O curso ainda terá um terceiro módulo.

No intervalo de um dos módulos, João Pacheco de Oliveira recebeu o jornal A Crítica para uma entrevista na qual ele falou sobre temas emergentes da pauta indígena (ou, para muita gente “pauta anti-indígena”), como a Proposta de Emenda Constitucional (PEC) 215, que propõe mudanças no processo de demarcação das terras indígenas, a portaria 303 da Advocacia Geral da União (AGU), que estabeleceu critérios de atuação nas terras indígenas (considerada pelos indígenas uma afronta aos seus direitos), as hidrelétricas na Amazônia e o que ele chama de “genocídio” do povo guarani-kaiwó, do Mato Grosso do Sul.

Leia aqui a entrevista completa.

Povos indígenas: projetos e desenvolvimento II

povos2grd

Esta publicação tem o objetivo de dar continuidade, ampliar e diversificar as discussões presentes no livro Povos Indígenas: projetos e desenvolvimento (Sousa, Cassio Noronha Inglez de; Souza Lima, Antonio Carlos de, Almeida, Fabio Vaz Ribeiro de e Wentzel, Sondra, orgs. Rio de Janeiro: Contra Capa Livraria, 2007), dando uma continuidade a uma parceria entre o LACED/Museu Nacional-UFRJ, o PDPI – Projetos Demonstrativos dos Povos Indígenas/Ministério do Meio Ambiente e a GTZ – Agência da cooperação técnica alemã.

A iniciativa de promover estas discussões e divulgá-las através de publicações teve sua origem no processo de reflexão sobre a experiência prática de participação de antropólogos no PDPI, um programa de apoio a projetos indígenas voltados para o desenvolvimento sustentável na Amazônia brasileira. De uma forma geral os textos do livro, estão relacionados ou dialogam com as complexas relações entre o Estado Nacional e povos indígenas, em especial tendo em vista os direitos que lhes são assegurados e as políticas governamentais concretas sobre eles incidentes ou a eles destinadas.

Problemáticas Sociais para Sociedades Plurais – Políticas indigenistas, sociais e de desenvolvimento em perspectiva comparada

Problemáticas Sociais para Sociedades Plurais - Políticas indigenistas, sociais e de desenvolvimento em perspectiva comparada

Christian Teófilo da Silva, Antonio Carlos de Souza Lima, Stephen Grant Baines (Orgs.)
Formato: 14×21 cm, 244 páginas
ISBN: 978-85-391-0024-8

O livro volta-se para as políticas e ações indigenistas, desenvolvimentistas e de proteção social elaboradas em âmbitos nacionais e internacionais e, dessa perspectiva, diversos temas relativos à saúde, educação, território, desenvolvimento e direitos são enfatizados. Considerando um contraste entre América Latina, representada por Brasil e México, e América Anglo-Saxã, representada pelos EUA, o livro proporciona uma perspectiva comparativa das oportunidades e dos obstáculos à promoção da igualdade em sociedades plurais e assumidamente democráticas.

Assessoria de Imprensa – Nicolau Kietzmann – nicolau@annablume.com.br –
(11) 8273.6669 – (11) 3070.3336 – skype:nkp161

Inauguração da sala de vídeo Major Luiz Thomas Reis

O Museu Nacional/UFRJ convida para a inauguração da sala de vídeo Major Luiz Thomas Reis e abertura da mostra de documentários científicos UFRJ VIDEO 2008, a ser realizada no dia 15 de setembro, a partir das 14h, com a exibição inédita do vídeo documentário “Caçadores de Dinossauros”, da Terra Brasilis Produções.

A UFRJ Video contempla diversos campos do conhecimento e se estende até o dia 21 deste mês, com entrada franca, mergulhando em um universo de expedições científicas, diversidade de etnias indígenas, movimentos sociais e conscientização ambiental.

Dia 15 de setembro
14 horas: Inauguração da Sala de Vídeo Major Luiz Thomas Reis
14h30min: Sessão inédita do vídeo “Caçadores de Dinossauros”

DESTAQUES DO EVENTO

17 quarta
Local Auditório do Museu Nacional / UFRJ
Manhã da Antropologia (9h)- Questão Indígena: Pisa Ligeiro
O vídeo é baseado em depoimentos das principais lideranças indígenas do país, que refletem a diversidade de 220 povos com histórias e culturas diferenciadas. Resultado de um trabalho de quatro anos desenvolvido por uma equipe do Laboratório de Pesquisas em Etnicidade, Cultura e Desenvolvimento (LACED) – Museu Nacional/UFRJ, em associação com organizações indígenas, o vídeo corresponde a um esforço de reflexão e auto-avaliação desses líderes sobre os últimos 15 anos de lutas e mobilizações.

Debatedores:
João Pacheco de Oliveira, antropólogo, professor titular do Programa de Pós-Graduação em Antropologia Social (PPPGAS), Museu Nacional/ UFRJ; Bruno Pacheco de Oliveira, diretor do vídeo, jornalista, integrante do LACED.

20 sábado
Local Auditório do Museu Nacional / UFRJ
Trilhas de Conhecimento (13h)
Ao registrar o cotidiano de um grupo de acadêmicos indígenas de diferentes universidades do Mato Grosso do Sul, o vídeo apresenta seus anseios individuais, assim como as expectativas de suas comunidades, em relação às possíveis contribuições trazidas pelos conhecimentos científicos não-indígenas para a melhoria da qualidade de vida de suas coletividades. Por meio dos depoimentos
desses acadêmicos, também tornam-se nítidos os obstáculos por eles enfrentados, tanto no que tange o acesso, como a permanência na universidade, ambiente que, além de ser muito diverso daquele de suas comunidades, é, não raramente, insensível ou até mesmo hostil às suas presenças. A situação exposta é evocativa da situação mais ampla dos estudantes indígenas no ensino superior do Brasil.
Duração: 19′.

Endereço: Quinta da Boa Vista, s/nº.
Bairro Imperial de São Cristóvão.
Informações: 2562-6916 / 6906

-blog-header.php'); ?>